sexta-feira, 13 de novembro de 2009

O Imperfeito, Não Participa do Passado

Impossível esquecer o que houve.
As lágrimas, as dores,
As juras de amor.
Não há mais nada.

Quantos momentos.
Tantos risos, tantas lágrimas,
As velhas piadas, que a pouco
Fazia-nos rir.
Não há mais nada.

Pequenas grandes lembranças
Que o tempo borra em nossas mentes.
Aperta o peito
Os olhos choram.
Não há mais nada.

E a fim,
Tudo se transformou:
"Em terra, em cinzas, em pó,
em sombra, em nada."

10 comentários:

  1. Gostei muito do texto!
    o passado traz lembranças tristes, mas também trza boas lembranças de uma boa epoca!

    beeijoos*

    ResponderExcluir
  2. Adorei o blog.E esse texto, demais.
    bjks

    ResponderExcluir
  3. Belo poema de um triste passado.

    Ás lágrimas de outrora sempre nos perceguem né?

    Não sei se és como eu...
    Um passado marcado por feridas que nunca cicatrizam e sempre insistem em sangrar!

    Dark Kisses

    ResponderExcluir
  4. Sim, um passado bem atordoado que tem influencia en todo meu presente.

    ResponderExcluir
  5. Bela poesia, um pouco triste, mas tristeza tem muita beleza não é mesmo, amo esse espaço.Parabéns

    ResponderExcluir
  6. Oi Beatriz ^^

    Muito lindo o poema!

    Este trecho está perfeito: " ... Em terra, em cinzas, em pó, em sombra, em nada."

    Você expressa-se muito bem ^^

    ResponderExcluir
  7. Vc tem o dom de mexer comigo.Concordo com o que seu texto diz: tudo torna-se nada.

    ResponderExcluir
  8. Andreia, esse ultimo trecho que vc citou, foi retirado de um poema barroco de Gregório de Matos, mais um lirico filosofico, trantando da efemeridade da vida.
    resolvi usa-lo, pois achei que se encaixaria bem aí.

    obrigada pelos comentarios, fico feliz em saber que vcs gostaram (=

    ResponderExcluir
  9. Guarde só o que foi bom.:)

    Tem selinho pra vc no blog..
    bjkas

    ResponderExcluir

Comenta aí, é importante para mim.