segunda-feira, 15 de junho de 2009

Flores e Amores

Tão fácil que é,
Minimizar aquilo que não se sente.
Chamar de loucura.
De exagero.

Se meu amor é loucura,
Internem-me.
Pois eu amo de mais.

E não me importo!
Não me importo com o que acham,
Ou com o que vão pensar.

E não!
Não comparo meu amor a flores!
Flores são ingratas, frágeis e delicadas.
Você rega, cuida...
Mas elas assim permanecem.

Meu amor é forte e persistente.
Meu amor não é regado,
Mas só cresce,
E não se preocupa se é cuidado ou não.

Se meu amor é doença,
Estou a beira da morte.
Pois há tempos amo assim.

Um comentário:

  1. Singelo. Poetas devem amar muito. É a eterna busca por inspiração.

    ResponderExcluir

Comenta aí, é importante para mim.